Modelos e Práticas de Supervisão Pedagógica

Responsável da Unidade Curricular: Daniela Alexandra Ramos Gonçalves
1º Ano | 1º Semestre
Objetivos de aprendizagem
Nesta UC, os estudantes ficaram capacitados para: problematizar o ato educativo da supervisão pedagógica; identificar os principais contextos para a prática supervisiva; analisar criticamente modelos e práticas de supervisão; identificar diferentes cenários, modelos, estilos e instrumentos de supervisão; desenvolver competências de intervenção em supervisão pedagógica.

Conteúdos programáticos
1. Supervisão Pedagógica e Orientação da Prática Profissional 1.1. Conceitos de supervisão pedagógica 1.2. Modelos de supervisão pedagógica 1.3. Supervisão como um instrumento de formação, inovação e mudança 2. Supervisão e desenvolvimento profissional 2.1. Supervisão, colegialidade e liderança partilhada 2.2. Competências de supervisão pedagógica 2.3. Estilos de supervisão e auto-supervisão 3. Referenciais e Práticas de Supervisão Pedagógica 3.1. Ciclo(s) de supervisão 3.2. Instrumentos e estratégias de supervisão 3.3. A supervisão pedagógica baseada em casos

Avaliação

Metodologia Entendemos como fundamental o desenvolvimento de um processo formativo baseado na autonomia dos estudantes. As metodologias necessariamente diversificadas visam dotar estudantes da capacidade de pesquisar, analisar e aplicar informação significativa, refletir e transmitir conteúdos, quer individualmente, quer em grupo. Pretende-se, assim, que estudantes tenham, ao longo deste processo, um papel interveniente, ativo e crítico e que desenvolvam uma razoável autonomia de trabalho e de pesquisa. Deste modo, será privilegiada, de forma alternada e cronologicamente articulada, a produção de materiais, sua aplicação e posterior avaliação, assim como a reflexão em grupo de forma dicotómica (abordagem numa perspetiva dialógico-reflexiva formador/formando). Estratégias e métodos de avaliação Será fornecido um conjunto de recursos pedagógicos para que o estudante analise, discuta e tire conclusões sobre questões atuais da Escola, da Educação e da função da Supervisão Pedagógica, presencialmente e/ou online. O docente será sempre o pivot e o mediador das aprendizagens e acompanhará o processo de aprendizagem em momentos presenciais e nos momentos síncronos. Nas horas assíncronas será privilegiada a abordagem de "classe invertida" com feedback processual do docente. A avaliação processa-se através dos seguintes produtos avaliativos: trabalho individual: 70% - consiste numa REFLEXÃO CRITÍCA, onde o estudante se posiciona enquanto profissional da educação face aos desafios que a SUPERVISÃO pode levantar e será apresentado, presencialmente; trabalho de grupo: 30% - consiste na apresentação presencial da temática estudada, a partir de um caso.

Bibliografia

Alarcão, I. e Roldão, M.C. (2008). Supervisão. Um contexto de desenvolvimento profissional dos professores. Mangualde. Edições Pedagogo Gonçalves, D. & Nogueira, I.C. (2017). A indução de novas práticas supervisivas no docente no espaço superior de educação superior. In 1ª SPCE-SEC (652-659). Lisboa: Edições Universitárias Lusófonas. Gonçalves, D. & Torres Pinto, M. (2014). Funções do supervisor pedagógico: contributos para o desenvolvimento profissional e institucional numa organização de educação e ensino privada. In Atas do congresso Formação e trabalho docente na sociedade da aprendizagem (pp. 51-59). Braga: CIEC, UMinho Simões, H., Nascimento, M. A., Vaz-Rebelo, P. (2012).Teachers'supervision in Portugal, In A. Swennen, P. Vaz-Rebelo et al. IV ATEE Conference. Professional development of teacher educators: Bringing together policy, practice and research Vieira, F., Paiva, M., Barbosa, I., & Moreira, M. A. (2010).No caleidoscópio da supervisão: Imagens da formação e da pedagogia.Mangualde: Edições Pedago