Neurodesenvolvimento cognitivo

Responsável da Unidade Curricular:
1º Ano | 1º Semestre
Objetivos de aprendizagem
-Conhecer o processo de neurodesenvolvimento e as suas bases neurobiológicas, centrado nos primeiros anos de vida, caracterizado pela variabilidade e plasticidade do sistema nervoso. -Dominar os conceitos teóricos básicos referentes aos défices cognitivos e desenvolvimentais: etiologia, graus, características desenvolvimentais e necessidades específicas. -Analisar e compreender as características das crianças e população com défice cognitivo e desenvolvimental, nos seus modelos e fatores contextuais influentes. -Compreender a importância da intervenção precoce, numa perspetiva sistémica de família, promovendo a interação escola-família. -Selecionar estratégias e recursos a utilizar em práticas pedagógicas diferenciadas e a desenvolver em ambientes inclusivos.

Conteúdos programáticos
1- Bases neurológicas e plasticidade do sistema nervoso no processamento da aprendizagem. 2- Caracterização dos défices cognitivos: processamento de informação, identificação dos fatores etiológicos, alterações específicas nos diversos domínios. 3- Desvios/défices no desenvolvimento cognitivo da criança: conceito de Perturbação do Desenvolvimento Intelectual e principais patologias associadas (Atraso Global do Desenvolvimento, T21; X Frágil; SFA, etc.). 4- Implicações e etapas na configuração dos Programas de Intervenção Precoce na Infância. 5- Implicações pedagógicas, diagnóstico e metodologias adequadas a défices ou disfunções no plano cognitivo: planificação e programação face aos dados colhidos no processo.

Avaliação

Com suporte numa componente de ensino blended learning, os estudantes desenvolverão as suas competências entre sessões presenciais, síncronas e assíncronas. Nessas sessões serão propostas e dinamizadas diversas atividades (leitura e análise de textos, visionamento de registos vídeo, reflexão e fóruns de discussão sobre estudos de caso). Pretende-se que os estudantes possam responder, numa intervenção inclusiva e o mais precoce possível, às distintas problemáticas no âmbito do neurodesenvolvimento cognitivo. As metodologias adotadas nesta UC pretendem que os estudantes valorizem a reflexão individual e o conhecimento aprofundado das temáticas envolvidas, numa articulação entre as suas vivências, necessidades e aplicabilidade no percurso profissional. Assim, a avaliação terá duas componentes: -Realização das tarefas propostas nas sessões (30%) -Apresentação de um trabalho final sobre uma das problemáticas associadas a défice cognitivo (70%)

Bibliografia

American Psychiatric Association. (2014). Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais (5ª Ed.). Lisboa: Climepsi Editores. ISBN: 9789727963478 Caldas, A. C.; Rato, J. (2017). Quando o cérebro do seu filho vai à escola-Boas práticas para melhorar a aprendizagem. Lisboa. Verso da Kapa-Edição de livros, Lda. ISBN:978-989-8816-68-9. Fernandes, A. S., Gomes, A. & Lima, M. (org.) (2016). Educação Especial em Tese. Porto: ESEPF. ISBN 978-989-98940-6-8 Valle, T. (2010). Aprendizagem e comportamento humano. São Paulo: Editora UNESP. ISBN: 978-85-7983-122-5. Wolfe, P. (2004). Compreender o funcionamento do Cérebro e a sua importância no processo de aprendizagem. Porto. Porto Editora. ISBN:0-87120-517-3.