fbpx

Veja a Entrevista no Porto Canal:

Relatório do OFEI sobre a Educação de Infância em Portugal no período de confinamento no âmbito da pandemia Covid-19

Veja mais no site do Observatório para o Futuro da Educação de Infância (OFEI)

“96% afirmou ter implementado estratégias de interação à distância com as famílias e crianças durante o período de recolhimento social, o que demonstra uma preocupação dos profissionais em procurar, por outra via, dar continuidade ao trabalho junto das crianças”(p. 16)


“O meio mais utilizado pelos profissionais para a interaçãocom crianças e família é o email, sendo utilizado por 61,7% dos inquiridos”(p. 18)


“Salienta-se, assim, a necessidade de se investir em equipamentos, mas acima de tudo numa política institucional de criação de procedimentos e estruturas
que permitam um prolongamento flexível do espaço sala construindo novas formas complementares de intervenção educativa”(p. 31)


“A necessidade de formação foi um dos aspetos evidenciadosde forma clara pelos profissionais. Falamos em concreto de formação na utilização de recursos tecnológicos na interação com as crianças e famílias em casa.”(p. 31)


“Percebe-se que muitas tentativas de interação, acolhidascom um esforço muito efetivo dos profissionais, espelhado nos dados, centraram-se na implementação de experiências nunca antes vividas. As próprias crianças tornaram-se alvo desta vivência experimental, sem um planeamento consistente.”(p. 31)


“Parece haver urgência no desenvolvimento de processosparticipados que apetrechem os educadores com competências que lhes permitam refletir nas suas novas práticas educativas.”(p. 34)

Top