Departamento de Formação em Educação Especial e Psicologia

Pós-Graduação em Educação Especial
2° Semestre Modelos de Avaliação e Intervenção nas Perturbações Motoras
Objetivos de aprendizagem
- Dominar a dinâmica neurofisiológica interferente com a realização de distintos padrões de realização motora. - Identificar géneses possíveis de dificuldades em relação à escrita espontânea em deficiências motoras graves. - Elaborar planos de intervenção que contemplem o conhecimento intrínseco da língua. - Conhecer as diversas formas específicas de deslocação física fomentando a eliminação de barreiras arquitetónicas. - Colaborar com o professor/educador a fim de ajustar desempenhos e exploração de potencialidades nas crianças. - Partilhar técnicas específicas de reabilitação neuromotora e de comunicação verbal com paramédicos. - Promover atividades que fomentam a inclusão psicosocial do deficiente motor grave.

Conteúdos programáticos
-Especificação de perfis de funcionalidade em deficiência motora tendo em conta os distintos níveis da lesão, espaços do neuroeixo afetados e categorias de perturbação neuromuscular: paralisia cerebral, espinha bífida, distrofia muscular e sequelas de traumatismo crâneo-encefálicas e neoformações cerebrais. -Explanação das problemáticas associadas à deficiência motora: aspetos cognitivos em geral, de aprendizagem dos conteúdos escolares em particular e das possibilidades de comunicação verbal oral ou outras. -Elaboração de um perfil de realização linguística em suas dimensões e processos, para crianças com possibilidades de fala. -Perspetivação e atualização de inovações tecnológicas que facilitam a autonomia, aprendizagem e comunicação. -Elaboração de perfis de realização escolar e programação de processos de intervenção. -Recriação de estratégias que fomentem o compromisso escolar com a participação e inclusão social da criança na escola e na sociedade.

Avaliação
Exposição de conteúdos básicos vinculados à dinâmica do sistema nervoso central e seus vínculos com a motricidade global e específica, como forma de aceder à compreensão das temáticas objeto de estudo em deficiência motora. Observação direta e partilha de experiências com distintas expressões de deficiência neuromotora, através de visitas de estudo a espaços onde permanecem alunos com patologias deste foro. Avaliação da comunicação verbal oral e escrita, em crianças com disartria. Avaliação: Assiduidade e Participação (20%). Apresentação oral, em grupo, das várias temáticas envolvidas no quadro da deficiência motora (80%).

Bibliografia
Barco, M.C.B.(2007)Reeducacion del habla y del Lenguaje en el paralitico cerebral. Madrid: CEPE. ISBN:9788485252640 Baxter, P.; Rosenbloom , L. (2005). CP or not CP? Dev. Med Child Neuirol, 47:507 Bleck, E., & Nagel, D. (1982). Physically handicapped children, Medical Atlas for Teachers. Orlando: Grune e Stratton.ISBN: 13:9780808913917 Emery, A. H. (1996). Distrofia muscular. Madrid: ASEM. ISBN: 84688-0432-0 González, M. T. (1998). La Paralisis Cerebral Mito y Realidad. Sevilha: Universidad de Sevilla. ISBN: 9788447204328 Gonzalez, M.T. (1994) Fundamentos de Neurologia para Educadores. Sevilla: I.D.E.O. ISBN:84-605-1360-2 Betanzos, J. M. (2011).- Parálisis cerebral en el contexto escolar. Necesidades educativas: del diagnóstico a la intervención. Madrid: Editorial EOS ISBN:9788497273985 Lima, C. (Coord.). (2015) Perturbações do Neurodesenvolvimento. Lisboa: Lidel. ISBN 978-989-752-152-2