Departamento de Formação em Educação Social

Licenciatura em Educação Social
5° Semestre Educação Especial e Intervenção Socioeducativa
Objetivos de aprendizagem
-Identificar, enquanto profissional da educação social, os princípios e direitos em causa na área da educação inclusiva -Demonstrar um espírito crítico quanto às omissões e inconsistências do atual sistema face à população com deficiência -Aplicar e relacionar os conceitos específicos no âmbito desta temática -Compreender as situações que se apresentem discrepantes em termos de desenvolvimento e de potencialidades -Adotar, com conhecimento, uma intervenção genérica adequada à diversidade através de dinâmicas pedagógicas -Utilizar os meios necessários e adequados ao serviço da intervenção socioeducativa

Conteúdos programáticos
1. A evolução histórica das atitudes sociais face à pessoa com deficiência: da separação à inclusão a. A escola inclusiva como potenciadora da sociedade inclusiva 2. A diversidade na população geral e escolar a. Medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão b. Estudo das diferentes perturbações do neurodesenvolvimento i. As deficiências (visual, auditiva, intelectual e motora) ii. As dificuldades de aprendizagem, os distúrbios emocionais, a privação cultural iii. As características e necessidades das crianças com altas habilidades c. As diferenças culturais numa sociedade e numa escola multicultural d. As implicações sociais e pedagógicas relacionadas com essa caracterização 3. A responsabilidade da escola e o Desenho Universal para a Aprendizagem 4. A responsabilidade da comunidade envolvente, quanto à inclusão da população cuja diversidade é acentuada: atitudes e medidas concretas ao nosso alcance 5. O papel da família junto da criança/jovem e da escola

Avaliação
As aulas teóricas destinam-se aos momentos de exposição oral de conteúdos mais específicos dentro dos conceitos das diversas problemáticas e diversidade das deficiências. Estes serão intercalados com metodologias teórico práticas onde se conjugarão métodos ativos e expositivos por parte do docente e dos alunos através da exposição das suas ideias, debates, análise de documentos, visualização e discussão de filmes e/ou documentários, num processo de trabalho individual e/ou em grupo, visando também a promoção das relações interpessoais. Estas estratégias visam estimular a reflexão crítica, aprofundar valores e desenvolver uma postura ética adequada à população com deficiência. A avaliação da UC envolve três componentes: Participação (20%), Teste (40%) e Trabalho de grupo (40%).

Bibliografia
Azevedo, Joaquim (2011). Liberdade e Política Pública de Educação. Ensaio sobre um novo compromisso social pela educação. V. N de Gaia: Fundação Manuel Leão ISBN-9789898151230. Brown-Chidsey, R. & Steege, M. (2010). Response to intervention. Principles and strategies for effective pratice. N.Y.: The Guilford Press. ISBN 9781606239230. Fernandes, D. (2014). Avaliação das aprendizagens e políticas educativas: o difícil percurso da inclusão e da melhoria. ISBN: 9789724056494. Gomes, A. M. P. (2011). Análisis e incidencia de los factores de resilencia en padres y madres con hijos, que bajo el constructo de la diversidad, son etiquetados como discapacitados: una propuesta de intervención en el ámbito sociofamiliar.Universidad de Jaén. ISBN: 9788484397205. Pereira, F. (coord) et al. (2018). Para uma Educação Inclusiva: manual de apoio à prática. Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação (DGE). ISBN: 9789727424184.